Histórico do periódico

A revista Ethnoscientia é uma publicação da Sociedade Brasileira de Etnobiologia e Etnoecologia (SBEE). Sua criação foi determinada durante a reunião ordinária realizada no XI Simpósio Nacional de Etnobiologia e Etnoecologia em Monte Claros, Minas Gerais, em novembro de 2014.

A criação da revista sempre havia sido discutida dentro da sociedade que, próxima de seus 20 anos (1997-2016), decidiu que era o momento de avançar nesta proposta.

O nome Ethnoscientia foi escolhido através de votação realizada com a participação de mais de 150 pessoas a partir de nove propostas elaboradas por diversos colaboradores, em votação na plataforma StrawPoll, com o nome dos proponentes em sigilo. A proposta vencedora, com 38% dos votos, foi “Ethnoscientia: Revista Brasileira de Etnobiologia e Etnoecologia” sugerida pelo prof. Dr. Lin Chau Ming.

A Ethnoscientia defende uma ciência inclusiva e democrática estimulando a divulgação de trabalhos nas diferentes áreas das etnociências e a interação entre diversos grupos de pessoas, buscando valorizar as relações entre as diferentes populações e o meio-ambiente.

A questão ética dos trabalhos vinculados na Ethnoscientia é uma grande preocupação da Sociedade Brasileira de Etnobiologia e Etnoecologia assim como do Conselho Editorial da revista, com respeito a todos os envolvidos nos trabalhos, respeito aos Códigos de Ética que a SBEE segue e a legislação internacional e nacional dos territórios onde os trabalhos foram desenvolvidos.

Fazem parte de seu Conselho Editorial pesquisadores reconhecidos das diferentes áreas das etnociências e de todo o território nacional.

 

A Sociedade Brasileira de Etnobiologia e Etnoecologia

A Sociedade Brasileira de Etnobiologia e Etnoecologia foi criada em julho de 1996, durante o I Simpósio de Etnobiologia e Etnoecologia, em Feira de Santana, Bahia. Na ocasião, os cientistas lá reunidos reafirmaram a importância do cultivo das disciplinas abrangidas no campo de interesse da SBEE, para que o Brasil adote modelos de desenvolvimento fundados no respeito aos povos e ao meio ambiente.

            Um fato histórico que contribuiu fortemente para a criação desta Sociedade foi o primeiro Congresso Internacional de Etnobiologia, que houve em Belém (PA), em 1988. Naquela ocasião, foi criada a International Society of Ethnobiology, e elaborou-se a Carta de Belém, documento que orienta a atuação profissional dos etnobiólogos e etnoecólogos.

Conforme consta em seu estatuto, a SBEE tem as seguintes finalidades:

  • (a) congregar todas as pessoas interessadas no desenvolvimento dos estudos etnobiológicos e etnoecológicos;
  • (b) incrementar a formação e o reconhecimento dos etnobiólogos e etnoecólogos, como elementos indispensáveis no inventário e estudo do patrimônio natural brasileiro;
  • (c) representar a comunidade de etnobiólogos e etnoecólogos brasileiros em âmbito nacional e internacional;
  • (d) promover e realizar encontros e congressos regionais, nacionais e/ou internacionais;

(e) assessorar e aconselhar Entidades oficiais ou particulares no que concerne ao desenvolvimento de estudos etnobiológicos e etnoecológicos e em suas diversas áreas correlatas e/ou especialidades.

A Sociedade reúne pesquisadores, professores e pessoas com trabalhos relacionadas às áreas da Etnobiologia e Etnoecologia no Brasil para um diálogo permanente sobre diversos aspectos pertinentes às correlatas áreas. A cada dois anos a Sociedade organiza eventos nacionais e entre estes períodos são realizados eventos regionais.

Mais informações sobre a SBEE em (www.etnobiologia.org).