PHOTOETHNOGRAPHY OF CERAMIC CRAFTSMEN FROM TERESINA, PIAUÍ, BRAZIL

Aníbal da Silva Cantalice, Nélson Leal Alencar

Resumo


The record of the social and cultural aspects that lead the human being to use the natural resources has gained evidence in the last decades. The present article aimed to describe the existing techniques in the production chain of the artisans of the Ceramic Pole of Poti Velho, PI, as well as to record the artifacts produced by the manufacture of red clay. The data collection involved semi-structured interviews, the participant observation technique to resolve doubts about the peculiarities of the production chain, as well as photographic record of the production stages. We observed the existence of criteria to determine the best craftsmen within the community, as well as influences that not only divides the activities between craftsmen by gender, but also those that led to changes in the techniques of production and artifacts produced by artisans.


Palavras-chave


Clay; Craft; Ethnopedology; Popular culture; Ceramics

Texto completo:

PDF (English)

Referências


ALBUQUERQUE, U. P.; RAMOS, M. A.; de LUCENA, R. F. P.; ALENCAR, N. L. Methods and techniques used to collect ethnobiological data. In: ALBUQUERQUE, U. P.; CUNHA, L. V. F. C.; LUCENA, R. F. P.; ALVES, R. R. N (Eds.). Methods and techniques in ethnobiology and ethnoecology. New York: Springer, 2014. p. 15-37.

ALENCAR-LINARD, Z. Ú. S; KHAN, A. S.; LIMA, P. V. P. S. Percepções dos impactos ambientais da indústria de cerâmica no município de Crato estado do Ceará, Brasil. Economía, sociedad y territorio, v. 15, n. 48, p. 397-423, 2015.

ALVES, Â. G. C. Conhecimento local e uso do solo: uma abordagem etnopedológica. Interciencia, v. 30, n. 9, p. 07-16, 2005.

ARAÚJO, A. L.; ALVES, A. G. C.; ROMERO, R. E.; FERREIRA, T. O. Etnopedologia: uma abordagem das etnociências sobre as relações entre as sociedades e os solos. Ciência Rural, v. 43, n. 5, p. 854-860, 2013.

ARTHUR, J. W. Culinary crafts and foods in southwestern Ethiopia: an ethnoarchaeological study of Gamo groundstones and pottery. African Archaeological Review, v. 31, n. 2, p. 131-168, 2014.

ATLAS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO. Perfil. Teresina, PI. Retrieved from: . Consulted in: 02 Feb 2018.

BADSHA, S. A. Clay doll cottage industry of India: a study of Ghurni, Krishnanagar municipality of Nadia district, west Bengal. Global Journal of Multidisciplinary Studies, v. 4, n. 8. p. 10-12, 2015.

CABRAL, R. L.; ALVES, Â. G. C.; RIBEIRO FILHO, M. R.; SOUZA JÚNIOR, V. S. D.; RIBEIRO, M. R.; Santos, C. G. R. Peasant and scientific knowledge on planosols as a source of materials in the making of non-industrial pottery. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 39, n. 1, p. 303-313, 2015.

CANAZILLES, K. S. A.; ALVES, G. L.; MATIAS, R. Comercialização do artesanato Kinikinau na cidade ecoturística de Bonito, Mato Grosso do Sul, Brasil. PASOS. Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, v. 13, n. 5, p. 1171-1182, 2015.

CASTILHO, M. A.; DORSA, A. C.; SANTOS, M. C. L. F.; OLIVEIRA, M. M. G. Artesanato e saberes locais no contexto do desenvolvimento local. Interações, v. 18, n. 3, p. 191-202, 2017.

CESTARI, G. A. V.; CARACAS, L. B; SANTOS, D. M. Artesanato tradicional, design e sustentabilidade: com a palavra quem produz cerâmica em Itamatatiua. Strategic Design Research Journal, v. 7, n. 2, p. 84-94, 2015.

DORSA, A. C.; CASTILHO, M. A.; SANTOS, M. C. L. F. Artesanato de etnias indígenas: patrimônio cultural de Mato Grosso do Sul. Interações, v. 16, n. 2, p. 467-473, 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Brasil. Piauí. Teresina. Retrieved from: . Consulted in: 02 Feb 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA (INMET). Dados históricos. Retrieved from: . Consulted in: 02 Feb 2018.

JACOMINE, P. K. T.; CAVALCANTI, A. C.; PESSOA, S. C. P.; BURGOS, N.; MÉLO-FILHO, H. D.; LOPES, O. F.; LAR, M. Levantamento exploratório de solos do estado do Piauí (escala 1: 1000). Boletim de Pesquisa, v. 36, n. 18, 1986.

LIMA, L. R.; MIRANDA, L. C.; SANTOS, A. A.; VASCONCELOS, M. T. A arte do barro: Um estudo sobre a perspectiva do conhecimento empírico para o controle patrimonial em Caruaru–Pernambuco. Registro Contábil, v. 5, n. 3, p. 111-129, 2014.

LIMA-FILHO, M. F.; SILVA, T. C. A arte de saber fazer grafismo nas bonecas Karajá. Horizontes Antropológicos. v. 18, n. 38, p. 45-74, 2012.

MACHADO, R. R. B.; MEUNIER, I. M. J.; SILVA, J. A. A. D.; CASTRO, A. A. J. F. Árvores nativas para a arborização de Teresina, Piauí. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, v. 1, n. 1, p. 10-18, 2006.

MARQUES, J. G. W. Pescando pescadores: ciência e escando pescadores: ciência e etnociência em uma perspectiva ecológica etnociência em uma perspectiva ecológica. São Paulo: USP/NUPAUB, 2001.

MARQUES, A; CHALUB, L. As mulheres do barro: um registro etnomatemático das mulheres artesãs de Arraias (Tocantins). Revista Latinoamericana de Etnomatemática, v. 9, n. 2, p. 168-179, 2016.

MOREIRA, R. Da paneleira à bonequeira: vida econômica, espaço doméstico e técnica da cerâmica em transformação no Jequitinhonha. Labor e Engenho, v. 1, n. 1, p. 77-88, 2007.

PAZ, Y. M.; HOLANDA, R. M.; EL-DEIR, S. G. Uso da argila no processo produtivo da cerâmica vermelha: Um estudo de caso no município de Paudalho, Pernambuco. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 10 n. 1, p. 283-289, 2015.

PELEGRINI, S. C. A gestão do patrimônio imaterial brasileiro na contemporaneidade. História, v. 27, n. 2, p. 145-173, 2008.

PICHLER, R. F.; MELLO, C. I. O design e a valorização da identidade local. Design e Tecnologia, v. 2, n. 4, p. 1-9, 2012.

RAMOS, I. S.; ALEXANDRE, J.; ALVES, M. G.; VOGEL, V.; GANTOS, M. A indústria cerâmica vermelha de Campos dos Goitacazes e a inclusão social das artesãs da baixada campista através do projeto Caminhos de Barro. Cerâmica, v. 54, n. 331, p. 280-286, 2008.

RORIZ, P. C. O. O trabalho do artesão e suas interfaces culturais-econômicas. 2010. 197 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações)-Universidade de Brasília, Brasília, 2010.

SCHAAN, D. P. A Arte da Cerâmica Marajoara: encontros entre o passado e o presente. Habitus, v. 5, n. 1, p. 99-117, 2008.

SILVEIRA, F. L. A. D.; LIMA-FILHO, M. F. Por uma antropologia do objeto documental: entre a “a alma nas coisas” e a coisificação do objeto. Horizontes Antropológicos, v. 11, n. 23, p. 37-50, 2005.

SYMANSKI, L. C. P. Cerâmicas, identidades escravas e crioulização nos engenhos de Chapada dos Guimarães (MT). História Unisinos, v. 14, n. 3, p. 294-310, 2010.

TSANTINI, E.; ONTIVEROS, M. Á. C.; MONTANA, G.; RANDAZZO, L. The production of traditional building materials in Oristano (Sardinia, Italy). Archaeological and Anthropological Sciences, v. 9, n. 7, p. 1495-1513. 2017.

WALDECK, G. E. “Luta do Barro”,“Isso do Barro”,“Nesse Serviço” á cerâmica de Apiaí. Textos Escolhidos de Cultura e Arte Populares, v. 11, n. 1, p. 107-128, 2014.

WALLAERT-PÊTRE, H. Learning how to make the right pots: apprenticeship strategies and material culture, a case study in handmade pottery from Cameroon. Journal of Anthropological Research, v. 57, n. 4, p. 471-493, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.22276/ethnoscientia.v4i1.202

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Ethnoscientia

ISSN 2448-1998

www.ethnoscientia.com