CONHECIMENTO EMPÍRICO DE PRODUTORES RURAIS SOBRE BIODIVERSIDADE E IMPACTOS AMBIENTAIS NAS VEGETAÇÕES RIPÁRIAS EM DIORAMA, ESTADO DE GOIÁS

Denise Aparecida Carvalho, Karine Alves da Silva Xavier, Mateus França de Souza, Daniel Blamires

Resumo


O conhecimento de grupos étnicos sobre biodiversidade e ambiente natural pode ser uma importante alternativa para estabelecer políticas conservacionistas. Assim, este estudo avaliou a percepção das vegetações ripárias segundo trinta produtores rurais (N=30) no município de Diorama, mesorregião noroeste de Goiás, através do conhecimento empírico de vegetais e animais, uso dos recursos naturais, além de impactos ambientais nestas fisionomias e na paisagem. Os dados foram coletados mediante entrevistas com questionário semi-estruturado, e as informações obtidas analisadas qualitativa e quantitativamente. Sessenta e uma etnoespécies vegetais foram relatadas (S=61), sendo a maioria utilizada para fins medicinais (54%) e extração de madeira (33%). Foram relatadas sessenta e nove etnoespécies animais (S=69), sendo a caça uma atividade pouco citada, porém significativa entre os entrevistados (16%). A pesca, praticada por 33% dos entrevistados, serve apenas para recreação e subsistência, tendo sido abandonada por muitos com a redução da água e dos peixes nos mananciais. Todos os entrevistados declararam conservar a vegetação ripária para garantir os serviços ecossistêmicos. A substituição da paisagem nativa do município por atividades agropastoris foi associada por todos os entrevistados ao aumento da temperatura, redução das chuvas e da água nos mananciais. Este estudo demonstrou que os entrevistados possuem ampla percepção sobre as vegetações ripárias, usam significativamente seus serviços ecossistêmicos, e demonstram conhecimento sobre a importância da preservação para evitar prejuízos ambientais e econômicos. Entretanto, considerando a extração de madeira e a caça relatada por grande parte dos entrevistados, futuramente atividades de conscientização ambiental deveriam ser desenvolvidas nas comunidades estudadas. Mais estudos futuros sobre percepção das vegetações ripárias por produtores rurais são necessários, considerando a importância ecológica e econômica destas fisionomias, tanto no estado de Goiás quanto em todo o Cerrado.

Palavras-chave


Brasil Central; Noroeste goiano; Etnobiologia; Conhecimento empírico; serviços ecossistêmicos

Texto completo:

PDF

Referências


AMÉRICO, J. H. P; CARVALHO, S. L.; GONZAGA, M. L.; LIMA, E. A. C. F.; ARAÚJO, C. A. M. Condições Ambientais de Propriedades Agrícolas e Percepção Ambiental de Produtores Rurais do Município de Dobrada – São Paulo, Brasil. Holos Environment, Rio Claro, v.2, n.2, p. 241-249, 2012.

ANDERSON, E. N. Ethnobiology: overview of a growing field. In: ANDERSON, E. N PEARSALL, D. M.; HUNN, E. S.; TURNER, N. J. (Org.). Ethnobiology. Hoboken: John Wiley & Sons, 2011, p. 1-14.

ATLAS. Desenvolvimento Humano no Brasil: Atlas-Município-Goiás-Diorama-IDHM. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2016.

BARBOSA, J. A. A.; NOBREGA, V. A.; ALVES, R. R. N. Aspectos da caça e comércio ilegal da avifauna silvestre por populações tradicionais do semi-árido paraibano.Revista de Biologia e Ciências da Terra, São Cristóvão, v. 10, n.2, p.39-49, 2010.

BARBOSA, H. O.; SOUZA, M. F.; ONDEI, L. S.; TERESA, F. B. Conhecimento ecológico local e percepção dos impactos ambientais por moradores da zona rural sobre riachos e peixes da bacia do alto Rio Tocantins, Goiás, Brasil. Ethnoscientia, Botucatu, v. 2, p. 1-20, 2017.

BARRETO, C. A. Agricultura e meio ambiente: percepções e práticas de sojicultores em Rio Verde – GO. 138f. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais) - Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

BART, D. Integrating local knowledge into experimental studies to understand the causes of environmental change. Frontiers in ecology and environment, Washington, v. 4, p. 541-546, 2006.

BERKES, F.; COLDING, J.; FOLKE, C. Rediscovery of traditional ecological knowledge as adaptive management. Ecological applications, Washington, v. 10, p. 1251-1262, 2000.

BONATO, F.; MARTINS, A. K. E.; BARROS, E. K. Uso de geotecnologia para classificação de pastagens em diferentes níveis de degradação da bacia do Ribeirão Matança localizada no município de Piuim – TO. In: ANAIS XIII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, Florianópolis: INPE, 2007, p. 791-798.

BRASIL. Lei nº 5197, de 03 de janeiro de 1967. Dispõe sobre a proteção da fauna e dá outras providências. Diário Oficial da União - Seção 1 - 5/1/1967, Página 177. Disponível em: < http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1960-1969/lei-5197-3-janeiro-1967-364679-publicacaooriginal-1-pl.html > Acesso em 12 dez. 2018.

BRASIL. Lei n° 12.651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nos 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nos 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória no 2.166-67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 28 mai. 2012. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm>. Acesso em: 10 mar. 2015.

BONI, V.; QUARESMA, S. J. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. Em tese: revista eletrônica dos pós-graduandos em sociologia política da UFSC, Florianópolis, v. 2, n. 1, janeiro-julho, p. 68-80, 2005.

CLIMATE-DATA.ORG. Clima: Diorama. Disponível em: . Acesso em: 01 jul. 2017.

CUNHA, H. F.; VALE, M.S.; SILVA JUNIOR, C. A. S.; CAMPOS, R. F.; CARLOS, L. O. Conhecimento empírico dos moradores da comunidade do entorno do Parque Municipal da Cachoeirinha (Iporá-Goiás). Acta Scientiarum Biological Sciences, Maringá, v. 29, n. 2, p. 203–212, 2007.

DATASUS. Departamento de Informática do SUS: Censos 1991, 2000 e 2010 - Taxa de analfabetismo. 2016. Disponível em: . Acesso em: 19 jul. 2016.

DAVIS, A.; WAGNER, J. Who knows? On the importance of identifying “experts” when researching local ecological knowledge. Human ecology: an interdisciplinary journal v. 31, p. 463-489, 2003.

DIAMOND, J. M. Zoological classification system of a primitive people. Science, Washington, v. 151, p. 1102-1104, 1966.

DURIGAN, G.; SILVEIRA, E. R. D. Recomposição de mata ciliar em domínio de Cerrado. Assis, SP. Scientia Florestalis,Piracicaba n. 56, p. 135-144, 1999.

EMPERAIRE, L.; PERONI, N. Traditional management of agrobiodiversity in Brazil: a case study of manioc. Human Ecology, Switzerland v. 35, n. 6, p. 761-768, 2007.

FAHRIG, L. Effects of habitat fragmentation on biodiversity. Annual Review of Ecology, Evolution and Systematics, Palo Alto v. 38, p. 487-515.

FARIAS, G. B.; ALVES, A. G. C. Aspectos históricos e conceituais da etnoornitologia. Biotemas, Florianópolis, v. 29, n.1, p. 91-100, 2007.

FARNSWORTH, N. R.; AKERELE, O.; BINGEL, A. S.; SOEJARTO, D. D.; GUO, Z. Medicinal plants in therapy. Bulletin of the World Health Organization, Geneva, v. 63, n. 6, p. 965-981, 1985.

FARNSWORTH, N. Testando plantas para novos remédios, In: WILSON, E. O.; PETER, F. M. (Org.). Biodiversidade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1997. p. 107-125.

FERREIRA, R. A.; AGUIAR NETTO, A. O.; SANTOS, T. I. S.; SANTOS, B. L.; MATOS, E. L. Nascentes da sub-bacia hidrográfica do rio Poxim, estado de Sergipe: da degradação à restauração. Revista Árvore, Viçosa, v. 35, n. 2, p. 265-277, 2011.

GRANDE, T.O.; P.H.P. RIBEIRO; F.R. MELO. Human perception of the conservation and biodiversity state of forest remnants under different levels of urbanization. Acta Scientiarum, Maringá, v. 38, n. 1, p. 47-58, 2016.

HINKEL, R. Vegetações ripárias: funções e ecologia. In: Anais do I Seminário de Hidrologia Florestal: Zonas Ripárias. Alfredo Wagner, Universidade Federal de Santa Catarina, 2003. p. 40-48.

HUNN, E. Ethnobiology in four fases. Journal of Ethnobiology, Tacoma, v. 27, n. 1, p. 1-10, 2007.

HUNTINGTON, H. P. Observations on the utility of the semi-directive interview for documenting traditional ecological knowledge. Arctic, Calgary, v. 51, n. 3, p. 237-242, 1998.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA: Censo demográfico. 2010. Disponível em: . Acesso em: 01 mar. 2015.

INSTITUTO MAURO BORGES: Goiás em Dados. 2014. Disponível em: http://www.imb.go.gov.br/down/godados2014.pdf.> . Acesso em 01 jul. 2017.

INSTITUTO MAURO BORGES: Perfil Socioeconômico de Diorama. 2016. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. de 2016.

LIMA, I. L. P.; SCARIOT, A.; MEDEIROS, M. B.; SEVILHA, A. C. Divesidade e uso de plantas do Cerrado em comunidade de geraizeiros no norte do estado de Minas Gerais, Brasil. Acta Botanica Brasilica, Belo Horizonte, v. 26, n.3, p. 675-684, 2012.

LOPES, P. F. M.; SILVANO, R.; BEGOSSI, A. Da biologia a etnobiologia – taxonomia e etnotaxonomia, ecologia e etnoecologia. In: ALVES, R. R. N.; SOUTO, W. M. S.; MOURÃO, J. S. (Org.). Etnozoologia no Brasil: importância, status atual e perspectivas futuras, Recife: NUPEEA, 2010, p. 69-94.

MEDEIROS, M. F. T.; ALVES, A. G. C.; ALMEIDA, C. F. C. B. R.; COSTA-NETO, E. M.; LINS NETO, E. M. F.; SOGLIO, F. K.; SOUTO, F. J. B.; COELHO-DE-SOUZA, G.; SOLDATI, G. T.; SILVA, H. P.; MELO, J. G.; MARQUES, J. G.; MONTEIRO, J. M.; MING, L. C.; CUNHA, L. V. F. C.; RAMOS, M. A.; HANAZAKI, N.; ALVES, R. R. N.; ALBUQUERQUE, U. P. In: ALBUQUERQUE, U. P.; ALVES, R. (Org.). Dictionary of ethnobiology and related areas. Switzerland: Springer international publishing, 2016. p. 273-310.

OLIVEIRA, T.; WOLSKI, M. S. Importância da Reserva Legal para a preservação da biodiversidade. Vivências: Revista Eletrônica de Extensão da URI, Santo Ângelo, v. 8, n. 15, p. 40-52, 2012.

PRADO, H.M.; MURIETA, R.S.S. Ethnoecology in perspective: the origins, interfaces and current trends of a growing field. Ambiente e sociedade, São Paulo, v.8, n. 4, p. 133-154, 2015.

ROCHA-MENDES, F.; MIKICH, S. B.; BIANCONI, G. V., PEDRO, W. A. Mamíferos do Município de Fênix, Paraná, Brasil: etnozoologia e conservação, Revista Brasileira de Zoologia, São Paulo, v. 22, n. 4, p. 901-1002, 2005.

RODRIGUES, V. E. G.; CARVALHO, D. A. Levantamento etnobotânico de plantas medicinais no domínio do Cerrado na região do alto Rio Grande- Minas Gerais. Ciência e agrotecnologia, Lavras, v. 25, n. 1, p. 102-123, 2001.

SÁ, M. A. P.; ROMANO, C. A.; MACCAGNAN, D. H. B. Conhecimento popular de moradores do perímetro urbano de Iporá, Goiás, sobre cigarras (hemíptera: cicadidae). Gaia Scientia, João Pessoa, v. 11, n. 3, p. 243-258, 2017.

SILVA, J. F.FARIÑAS, M. R., FELFILI, J. M., KLINK, C. A. Spatial heterogeneity, land use and conservation in the Cerrado region of Brazil. Journal of Biogeography, Chicago, v. 33, p. 536-548, 2006.

SOUZA, M. F.; BARBOSA, H. O.; BLAMIRES, D. Importância cultural, ecológica e econômica de aves entre moradores de comunidades rurais do município de Iporá/Go. In: SANTOS, F. R. (Org.). Contextualizando o Cerrado Goiano: Entre questões socioeconômicas e socioespaciais e questões socioeducacionais e socioambientais. Curitiba: CRV, 2017, p. 185-202.

STEVENSON, B. M. G. Traditional knowledge and sustainable forest management. Sustanaible forest management, Geneva, p. 18, 2015.

VERDE, G. M.; PAULA, J. R.; CANEIRO, D. M. Levantamento etnobotânico das plantas medicinais do Cerrado utilizadas pela população de Mossâmedes (GO). Revista brasileira de farmacognosia, Curitiba, v. 13, p. 64-66, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.22276/ethnoscientia.v4i1.226

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Ethnoscientia

ISSN 2448-1998

www.ethnoscientia.com