ETNOBOTÂNICA DE PLANTAS RITUALÍSTICAS NA PRÁTICA RELIGIOSA DE MATRIZ AFRICANA NO MUNICÍPIO DE ITUIUTABA, MINAS GERAIS

Kenneri Cezarini Hernandes Alves, Juliana Aparecida Povh, Anderson Pereira Portuguez

Resumo


As plantas, no universo das religiões de influência africana, apresentam grande valor por serem utilizadas para propósitos ritualísticos e de rotina pelas comunidades dos terreiros. Neste sentido, este estudo foi realizado com o objetivo de compreender e analisar a etnobotânica nas religiões de Umbanda e Candomblé com fins medicinais, indicadas pelo babalorixá e citadas nos formulários respondidos por 20 participantes. Foram realizadas visitas para coleta de dados a fim de preparar um catálogo com os seguintes itens: nome científico, família botânica, nome popular, uso religioso e terapêutico, seguida de imagens de cada espécie presente no quintal do terreiro ILé Àse Tobi Babá Olorigbin, localizado na cidade de Ituiutaba, Minas Gerais. Os resultados possibilitaram compreensão dos benefícios que os rituais e a utilização de plantas promovem, melhorando qualidade de vida e levando bem-estar aos praticantes da religião. Por fim, este estudo contribuiu para registrar os conhecimentos e cultura da religião afro-brasileira e desmistificar o preconceito sobre os terreiros de Umbanda e Candomblé.


Palavras-chave


Candomblé; plantas medicinais; rituais; Umbanda

Texto completo:

PDF

Referências


ANGIOSPERM PHYLOGENY GROUP (APG). An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG IV. Botanical Journal of the Linnean Society, v. 81, p. 1-20, 2016.

ARAUJO, W. Através da terra: estudo de plantas utilizadas em rituais de cura por participantes de cultos religiosos de matriz africana em Campina Grande – PB. 2014. 78 f. Faculdade de História, Universidade Estadual da Paraíba, Paraíba, 2014.

CAMARGO, M.T.L.A. As plantas medicinais e o sagrado: a etnofarmacobotânica em uma revisão historiográfica da medicina popular no Brasil. 1. ed. São Paulo: Ícone, 2014.

CAMARGO, M.T.L. Plantas medicinais e de rituais afro-brasileiros. São Paulo: ALMED, 1988.

CASCUDO, L.C. Literatura oral no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1978.

FERREIRA, M.F. Cosmologia do candomblé. Trabalho pedagógico, p. 1-19, 2019.

FIASCHI, P. Araliaceae In: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: http://floradobrasil.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB80524. Acesso em: 31 de ago. 2018.

HOLMGREN, P.K.; HOLMGREN, N.H.; BARNETT, L.C. Index Herbariorum. Part I: The Herbaria of the world. 8. ed. New York: International Association for Plant Taxonomy / New York Botanical Garden, 1990.

IBGE. Censo demográfico 2010: sinopse preliminar. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/ituiutaba/panorama. Acesso em: 24 jan 2019.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITUIUTABA. Disponível em: https://www.ituiutaba.mg.gov.br/t/dados-populacionais. Acesso em: 24 jan 2019.

MEDEIROS, M.F.T. et al. Plantas medicinais e seus usos pelos sitiantes da Reserva Rio das Pedras, Mangaratiba, RJ, Brasil. Acta bot. Bras, v. 18, n. 2, p. 391-399, 2004.

NEGRELLE, R.R.B.; FORNAZZARI, K.R.C. Estudo etnobotânico em duas comunidades rurais (Limeira e Ribeirão Grande) de Guaratuba (Paraná, Brasil). Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 9, n. 2. p. 36-54, 2007.

PAGNOCCA, T.S. Uso de plantas terapêuticas em religiões afro-brasileiras na ilha de Santa Catarina. 2017. 107 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.

PIRES, M. V. et al. Etnobotânica de terreiros de candomblé nos municípios de Ilhéus e Itabuna, Bahia, Brasil. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 7, n. 1, p.1-8, 2009.

PORTUGUEZ, A.P. Plantando axé: do lugar sagrado ao território da militância e da resistência cultural. 1. ed. Ituiutaba, MG: Barlavento, 2016.

PORTUGUEZ, A.P. Espaço e cultura na religiosidade afro-brasileira. 1. ed. Ituiutaba: Barlavento, 2015.

SANTOS, J.S.; ALMEIDA, C.C.O.F. Plantas medicinais fitoterapia: uma ciência em expansão. Brasília: Editora IFB, 2016.

SCHILLING, A.C.; BATISTA, J.L.F. Curva de acumulação de espécies e suficiência amostral em florestas tropicais. Revista Brasileira de Botânica, Santa Maria, v. 31, n. 1, p. 179-187, 2008.

SILVA, V.G. Candomblé e Umbanda: caminho de devoção brasileira. 3. ed. São Paulo: Selo Negro Edições, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.22276/ethnoscientia.v4i1.239

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Ethnoscientia

ISSN 2448-1998

www.ethnoscientia.com