DIVERSIDADE DE PLANTAS PARA HIPERTENSÃO, HIPERCOLESTEROLEMIA E PROBLEMAS RENAIS USADAS POR UMA COMUNIDADE RURAL NA SERRA DA MANTIQUEIRA PAULISTA

Lívia Cristina Pereira Barros, Lin Chau Ming, Sandra Maria Pereira Silva, Roseli Buzanelli Torres

Resumo


Esta pesquisa teve como objetivo principal realizar levantamento etnobotânico junto à comunidade rural do Bairro dos Marins, município de Piquete, São Paulo, sobre o conhecimento de plantas medicinais com atividades de controle da pressão arterial, colesterol e problemas renais. O estudo objetivou também verificar como os moradores reconhecem e nomeiam as doenças estudadas, além de identificar quais espécies medicinais são conhecidas e usadas pelos moradores, sua forma de utilização e preparo. A coleta de dados foi baseada em entrevistas semiestruturadas e estruturadas, por meio das técnicas de observação participante e de “bola-de-neve”; esta última consistiu em conversar com algumas pessoas da comunidade e perguntar se conheciam moradores que tinham significativo conhecimento sobre plantas medicinais e com esta técnica foram indicadas 20 pessoas. Foram coletados dados socioculturais, levantados os problemas de saúde mais recorrentes na comunidade e as espécies usadas para tratar cada um deles, bem como as pessoas conhecem as plantas para os sintomas das doenças. Foram citadas 57 espécies medicinais para as doenças estudadas, distribuídas em 33 famílias botânicas. Com a pesquisa, apesar de ter se restringido a alguns grupos de doenças, tornou-se possível verificar que no Bairro dos Marins existe intenso uso de plantas medicinais nos cuidados primários à saúde, para os grupos das doenças estudadas.

Palavras-chave


etnobotânica, espécies medicinais, doenças, Antropologia, biodiversidade

Texto completo:

PDF

Referências


AMOROZO, M.C.M. A abordagem etnobotânica na pesquisa de plantas medicinais. In: DI STASI, L. C. (Org.). Plantas medicinais: Arte e Ciência. São Paulo: UNESP, 1996. p. 47-68.

BERNARD, H.R. Research methods in cultural anthropology. Newbury Park: SAGE, 1988. 520p.

CARRARA. D. Possangaba: Pensamento médico popular. Rio de Janeiro. 1995.

COSTA, M.A.G. Aspectos etnobotânicos do trabalho com plantas medicinais realizado por curandeiros no município de Iporanga, SP. 2002, 134 f. Dissertação de Mestrado (Mestrado em Ciências Agronômicas/Horticultura) – Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista. Botucatu, 2002.)

GAZZANEO, L.R, LUCENA, R.R.P. AND ALBUQUERQUE, U.P. Knowledge and use of medicinal plants by local specialists in an region of Atlantic Forest in the state of Pernambuco (Northeastern Brazil). Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, v.1, n. 9, p. 1-9. 2005.

HIDALGO, A.F. Plantas de uso popular para o tratamento da malária e males associados da área de influência do Rio Solimões e Região de Manaus, AM. Tese (Doutorado em Horticultura) – Universidade Estadual Paulista, Botucatu, SP. 2003

KUBO, R.R. Levantamento das plantas de uso medicinal em Coronel Bianco, RS. Porto Alegre, RS, 1997. 161 f. Dissertação (Mestrado em Botânica) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS.

MATOS, F.J.A. Guia Fitoterápico. 2 ed. Fortaleza. 2001.

MYERS, N; MITTERMELER, A. R.; MITTERMELER, C. G.; FONSECA, G.B.A.; KENT, J. 2000. Biodiversity Hotspots for conservation priorities. Nature 403: 853-858.

SANTOS, J.F.L. Uso popular de plantas medicinais na comunidade rural da Vargem Grande, Município de Natividade da Serra, SP. 2006, 104 f. Dissertação de Mestrado (Mestrado em Ciências Agronômicas/Horticultura) – Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista. Botucatu, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.22276/ethnoscientia.v5i1.265

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Ethnoscientia

ISSN 2448-1998

www.ethnoscientia.com