ETNOBOTÂNICA NO ACRE: TRÊS DÉCADAS DE PESQUISAS CIENTÍFICAS REALIZADAS NO ESTADO (1990-2020)

Tomaz Ribeiro Lanza, Lin Chau Ming, Moacir Haverroth, Almecina Balbino Ferreira

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo traçar um panorama dos 30 anos de pesquisa com etnobotânica no Estado do Acre a partir de um levantamento bibliográfico sistemático e aprofundado. A metodologia utilizada foi de busca por palavras-chave, sendo utilizadas nas pesquisas “etnobotânica Acre”, “ethnobotany Acre Brazil”, “botânica econômica Acre”, “economic botany Acre Brazil”. A pesquisa foi realizada em bases bibliográficas, bibliotecas digitais e físicas, periódicos, livros e acervos acadêmicos, nacionais e internacionais. Foram encontrados 111 trabalhos publicados entre 1990 e 2019, sendo que, aproximadamente, 86 trabalhos (77% do total) foram publicados na última década. Foram encontrados diferentes tipos de publicações, sendo elas capítulo de livro, artigo científico, resumo em congresso, livros, dissertações de mestrado, teses de doutorado, documento técnico e tese de livre docência. As temáticas mais estudadas nesses trabalhos foram plantas medicinais, agrobiodiversidade, plantas úteis e plantas alimentícias, que, juntas, representam aproximadamente 95% dos estudos. As populações tradicionais mais estudadas foram seringueiros e indígenas. Esses estudos foram desenvolvidos em diferentes municípios do Estado do Acre, sendo os mais representados Xapurí, com 17, Feijó, com 15, e Rio Branco, com 13 estudos. Esses resultados evidenciam como as pesquisas em etnobotânica no Acre são recentes e, além disso, quais as regiões e populações ainda podem ser estudadas.


Palavras-chave


Amazônia; Revisão bibliográfica; Etnobotânica

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, U. P.; HANAZAKI, N. Five problems in current ethnobotanical research and some suggestions for strengthening them. Human Ecology, v. 37, n. 5, p. 653-661, 2009. Disponível em: < https://link.springer.com/article/10.1007/s10745-009-9259-9 >. Acesso em: 10 dez. 2019.

AMOROZO, M. C. M.; GÉLY, A. L. Uso de plantas medicinais por caboclos do baixo Amazonas, Barcarena, PA, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Série Botânica 4(1):47-131.1988.

BALÉE, W. Análise preliminar de inventário florestal e a etnobotánica Ka’apor (Maranhão). Boletim do Museu Paraense Emilio Goeldi, v. 2, n. 2, p. 141-167, 1986.

BRASIL. Áreas Prioritárias para Conservação, Uso Sustentável e Repartição de Benefícios da Biodiversidade Brasileira: Atualização - Portaria MMA n°9, de 23 de janeiro de 2019. / Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Biodiversidade e Florestas. – Brasília: MMA, 2019. 327p. : il. color. ; 29 cm. Disponível em: . Acesso em: 22 nov. 2019.

BRASIL. Cadastro Nacional de Unidades de Conservação (CNUC) - Ministério do Meio Ambiente. – Brasília, 2019. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2019.

COSTA, N. G. Etnobotânica de plantas alimentícias utilizadas pelo povo Shanenawa do município de Feijó, Acre. 2019. Dissertação (Mestrado em Agronomia – Horticultura). Universidade Estadual Paulista. Botucatu.

CPI. Comissão Pró Índio: Povos e Terras Indígenas do Acre. 2019. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2019.

DA CUNHA, M. C.; DE ALMEIDA, M. B. Enciclopédia da floresta. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

DALY, D.C.; SILVEIRA, M. Primeiro catálogo da flora do Acre, Brasil / First catalogue of the flora of Acre, Brazil. EDIUFAC, Rio Branco. 421p. 2009.

DINERSTEIN, E.; OLSON, D. M.; GRAHAM, D. J.; WEBSTER, A. L.; PRIMM, S. A., BOOKBINDER, M. P.; LEDEC, G. A conservation assessment of the terrestrial ecoregions of Latin America and the Caribbean. WWF/The World Bank, Washington, D. C., 129 pp. 1995

DOS SANTOS, I. F. Caracterização socioambiental de moradores da zona ripária da bacia hidrográfica do riozinho do rôla, Rio Branco, Acre. 2008. 80 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

EHRINGHAUS, C. Piper Spp.(Piperaceae) Use in an Indigenous Kaxinawá Community in Acre, Brazil: Ethnobotanical, Ecological, Phytochemical and Biological Activity Aspects. a Story of NIXPU. 1996.

EMMERICH, M.; SENNA, L. M. de. Estudos de etnobotânica no Parque Indígena do Xingu: 1. Uma periandra (Leguminosae) nova. Boletim do Museu Nacional do Rio de Janeiro Botânica, v. 57, 1980..

EMPERAIRE, L.; DELAVAUX, J.J. Etnobotância - Reserva extrativista do Alto Juruá, Acre. Relatório de Campo, Manaus: Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia, 1992. 77p.

FERREIRA, A.; MING, L. C.; HAVERROTH, M.; DALY, D.; CABALLERO, J.; BALLESTÉ, A. Plants Used to Treat Malaria in the Regions of Rio Branco-Acre State and Southern Amazonas State-Brazil. International Journal of Phytocosmetics and Natural Ingredients, v. 2015, p. 2-9, 2015. Disponível em: < https://www.researchgate.net/profile/Andrea_Martinez-Balleste2/publication/282413393_ Plants_Used_to_Treat_Malaria_in_the_Regions_of_Rio_Branco-Acre_State_and_Southern_Amazonas_State_-_Brazil/links/5717f8fe08ae30c3f9f176a2/Plants-Used-to-Treat-Malaria-in-the-Regions-of-Rio-Branco-Acre-State-and-Southern-Amazonas-State-Brazil.pdf>. Acesso em: 10 ago. 2019.

FUNAI. Terras indígenas do Brasil. Ministério da Justiça e Segurança Pública. 2019. Disponível em: http://www.funai.gov.br/index.php/indios-no-brasil/terras-indigenas. Acesso: 06 nov. 2019.

HAMILTON, A; PEI, S. J. K.; KHAN, A. A.; LAGOS-WITTE, S.; SHINWARI, Z. K.. Os propósitos e ensinamentos da etnobotânica aplicada. Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), 2003.

HARSHBERGER J.W. The purposes of ethnobotany. Bot. Gaz. 21(3):146-154. 1896

HAVERROTH, M. Ensino e pesquisa em etnoecologia e etnobiologia na Região Norte do Brasil. Embrapa Acre-Artigo em periódico indexado (ALICE), 2018. Disponível em: < https://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/1093591>. Acesso em: 13 set. 2019.

HAVERROTH, M.; NEGREIROS, P. R. M.; BARROS, L. C. P. Ethnobiology and health among the Kulina People from the Upper Envira River, State of Acre, Brazil. The Open Complementary Medicine Journal, n. 2, p. 42-57, 2010. Disponível em: < https://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/856186>. Acesso em: 10 ago. 2019.

ÎKA MURU, A. M. M.; QUINET, A. Una Isi Kayawa: livro da cura do povo Huni Kuin do rio Jordão. Rio de Janeiro: CNC/Flora/Jardim Botânico do Rio de Janeiro e Dantes Editora, 2011.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Cidades. Disponível em: . Acesso em: 02 fev. 2019.

INSTITUTO SOCIOAMBIENTAL (ISA). Povos indígenas no Brasil. Brasília: ISA; 2010. Disponível em: < https://pib.socioambiental.org/pt/P%C3%A1gina_principal>. Acesso: 27 jan. 2019.

KAINER, A.K.; DURYEA, M.L. Tapping women's knowledge: plant resource use in extractive reserves, Acre, Brazil. Economic Botany, v.46, n.4, p. 408-25, 1992.

KATZ, E. Cruzeiro do Sul market (Acre, Brazilian Amazon): reflection of the regional culture and agricultural diversity. In: POCHETTINO, M. L.; LADIO, A. H.; ARENAS, P. M. (Orgs.). Tradiciones y transformaciones en Etnobotánica/Traditions and transformations in Ethnobotany. San Salvador de Jujuy: Ed. CYTED, 2010. p. 525-533.

LANZA, T.R.; MING, L. C.; HAVERROTH, M.; FERREIRA, A. B. Etnobotânica de plantas alimentícias silvestres da Terra Indígena Kaxinawá de Nova Olinda, Acre, Brasil. In: CONGRESO LATINOAMERICANO AGROECOLOGÍA, 7, 2018, Guayaquil. Memórias VII Congreso Latinoamericano de Agroecología. Guayaquil: SOCLA, 2018. p. 1184-1189.

LENAERTS, M. Substances, relationships and the omnipresence of the body: an overview of Ashéninka ethnomedicine (Western Amazonia). Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, v. 2, n. 1, p. 49, 2006. Disponível em: < https://ethnobiomed.biomedcentral.com/articles/10.1186/1746-4269-2-49>. Acesso em: 02 fev. 2019.

LOPES, B.P.C.S. Estudo etnobotânico de plantas medicinais da Terra Indígena Kaxinawá de Nova Olinda, município de Feijó, Acre. 2017. 235 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia: Horticultura) - Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista, Botucatu.

MATTAR, E. P. L.; OLIVEIRA, E. D.; DE JESUS, J. C. D. S.; DE ARAÚJO, M. L.; JÚNIOR, H. C. D. S. Creole beans production systems of Jurua valley, amazon, Brasil. Indian Journal of Traditional Knowledge, v. 54, p. 619-624, 2016. Disponível em: < http://nopr.niscair.res.in/handle/123456789/35241>. Acesso em: 10 fev. 2019.

MING, L. Plantas medicinais utilizadas pelos seringueiros na Reserva Extrativista “Chico Mendes”, Acre, Brasil. 1995. 180p. Tese (Doutorado em Botânica) – Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista, Botucatu.

MING, L.C. Plantas medicinais na Reserva Extrativista Chico Mendes: uma visão etnobotânica. Editora UNESP, São Paulo, SP. 78p. 2006. Disponível em: < https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=IHikHBY3Y60C&oi=fnd&pg=PA13&dq=Experi%C3%AAncias+etnobot%C3%A2nicas+na+Reserva+Extrativista+Chico+Mendes&ots=syh-4fy5w2&sig=QU0W3rtBhAe5gchk2gZ6kAM7Cj4>. Acesso em: 23 abr. 2018.

MING, L.C.; AMOROZO, M. C. de M.; FERREIRA, A. B. Experiências etnobotânicas na Reserva Extrativista Chico Mendes. 148 p. Botucatu : Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais, 2018.

OLSON, D.; DINERSTEIN, E.; CASTRO, G.; MARAVI, E. Identifying gaps in botanical information for biodiversity conservation in Latin America and the Caribbean. World Wildlife Fund, Washington, D.C., 1996.

PRANCE, G.T. Etnobotânica de algumas tribos amazônicas. Suma Etnológica Brasileira, v. 1, p. 119-133, 1987.

MAPBIOMAS. “Projeto MapBiomas. 2018. (Coleção MapBiomas, 3; Série anual de mapas de cobertura e uso de solo do Brasil). Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2018.

RITTER, M. R.; SILVA, T. C. D.; ARAÚJO, E. D. L.; ALBUQUERQUE, U. P. Bibliometric analysis of ethnobotanical research in Brazil (1988-2013). Acta Botanica Brasilica, v. 29, n. 1, p. 113-119, 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2018.

RIZZI R. Mandioca: processos biológicos e socioculturais associados no Alto Juruá, Acre. 2011. 169 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia). Unicamp. Campinas

SCHULTES, R. E. The importance of ethnobotany in environmental conservation. The American Journal of Economics and Sociology, v. 53, n. 2, p. 202-206, 1994.

SIVIERO, A.; DELUNARDO, T. A.; HAVERROTH, M.; DE OLIVEIRA, L. C.; ROMAN, A. L. C.; DA SILVA MENDONÇA, Â. M.. Plantas ornamentais em quintais urbanos de Rio Branco, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, 9(3), 797-813. 2014. Disponível em: < https://www.redalyc.org/pdf/3940/394051398015.pdf>. Acesso em: 20 set. 2018.

SIVIERO, A.; MING, L. C.; SILVEIRA, M.; DALY, D.; WALLACE, R. Etnobotânica e botânica econômica do Acre. Rio Branco: Edufac, 2016. 410 p

SMITH, N. Palms and People in the Amazon. Cham: Springer International Publishing, 500 pp. 2015.

VAN VELTHEM, L. H.; KATZ, E. A 'farinha especial': fabricação e percepção de um produto da agricultura familiar no vale do rio Juruá, Acre. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, 7(2), 435-456. 2012.

WALLACE, R. H. The effects of wealth and markets on rubber tapper use and knowledge of forest resources in Acre, Brazil. University of Florida. 2004

ZAPPI, D. C.; FILARDI, F. L. R.; LEITMAN, P.; SOUZA, V. C.; WALTER, B. M.; PIRANI, J. R.; ... FORZZA, R. C.. Growing knowledge: an overview of seed plant diversity in Brazil. Rodriguésia, v. 66, n. 4, p. 1085-1113, 2015. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2175-78602015000401085&script=sci_arttext> Acesso em: 20 set. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.22276/ethnoscientia.v5i1.269

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Ethnoscientia

ISSN 2448-1998

www.ethnoscientia.com