CONHECIMENTO TRADICIONAL DOS PESCADORES ARTESANAIS SOBRE OS PARASITOS DE PEIXES DO RIO JAGUARIPE, BAHIA, NORDESTE DO BRASIL

Dalila Costa Dantas, Washington Luiz Gomes Tavechio, Gislaine Guidelli

Resumo


A etnoparasitologia é uma área de estudo que relaciona-se diretamente com a etnoecologia uma vez que, por definição, o parasitismo é considerado uma das relações simbióticas entre seres vivos. A ictioparasitologia pode ser estudada sob este prisma, avaliando-se o modo como as populações ribeirinhas compreendem as doenças parasitárias dos animais dos quais dependem para sua subsistência. Esta pesquisa objetivou analisar o conhecimento tradicional de pescadores dos municípios de Nazaré e Jaguaripe, Bahia, que realizam pesca no Rio Jaguaripe, sobre as interações peixes-parasitos, visando observar a percepção da ocorrência de parasitos, da influência desses organismos sobre os peixes, da dinâmica do parasitismo (sazonalidade, ciclo de vida) e da relação dos parasitos de peixes com o ser humano e com possíveis zoonoses. A seleção dos pescadores deu-se por amostragem tipo bola de neve e a coleta de dados por meio de questionário aberto e semiestruturado. Foram entrevistados 27 pescadores sendo os dados analisados qualitativamente e quantitativamente. Os resultados obtidos de ambas as comunidades apontam para um conhecimento de pelo menos dois grupos zoológicos de parasitos: Crustacea e Nematoda. Indicam reconhecimento de aspectos como sazonalidade, patologias e biologia parasitária. Também demonstrou que os pescadores percebem parasitos principalmente daqueles peixes de interesse comercial e não consideram a possibilidade de parasitos de peixes causarem doenças em humanos.

Palavras-chave


Etnoecologia; Etnoparasitologia; Ictioparasitologia; Recôncavo da Bahia; Relação Parasito-Hospedeiro

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, U. P.; LUCENA, R. F. P.; NETO, E. M. F. L. Seleção dos participantes. In: ALBUQUERQUE, U. P.; LUCENA, R. F. P.; CUNHA, L. V. F. C. (Orgs.). Métodos e Técnicas na Pesquisa Etnobiológica e Etnoecológica. Recife: NUPPEA, 2010. p. 23-37.

AUGUSTO, L. Porta do Sertão. 3a Edição. Nazaré: Kouraça, 1995. 239 p.

BAILEY K. Methods of social research. 2a Edição. New York: The Free Press, Macmillan Publishers, 1982. 553 p.

BARBOZA, R. S. Interface conhecimento tradicional-conhecimento científico: um olhar interdisciplinar da etnobiologia na pesca artesanal em Ajuruteua, Bragança-Pará. 2006. 126 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Ecossistemas Costeiros e Estuarinos) – Universidade Federal do Pará, Bragança, Pará.

BARBOZA, R. S. L.; BARBOZA, M. S. L.; PEZZUTI, J. C. B. Aspectos culturais da zooterapia e dieta alimentar de pescadores artesanais do litoral paraense. Fragmentos de Cultura, Goiânia, v. 24, n. 2, p. 267-284, 2014.

BRASIL - Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Saúde. Resolução 466/2012, Brasília, DF, 2013, 12 p. Disponível em:< http://www.conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/ Reso466.pdf >. Acesso em: 20 de janeiro de 2016.

CANSI, E. R.; ATAÍDE, H. S.; DEMO, C.; GURGEL- GONÇALVES, R.; PUJOL-LUZ, J. R. As miíases no imaginário de uma população rural no município de Formosa (Goiás), Brasil. Revista Biotemas, Florianópolis, v. 25, n. 4, p. 249-258, 2012.

CLAUZET, M. Etnoictiologia e uso de recursos naturais por pescadores artesanais costeiros no Brasil. 2009. 167 f. Tese (Doutorado em Instituto de Filosofia e Ciências Humanas) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.

DEMARTINI, M. Popularização do sushi aumenta casos de infecção por parasitas. Exame, 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 de ago. 2017.

EIRAS, J. C. ; TAKEMOTO, R. M. ; PAVANELLI, G. C. Diversidade dos parasitas de peixes de água doce do Brasil. 1. ed. Maringá: Clichetec, 2010. v. 1. 333p.

GIÃO, T.; PELEGRINI, L. S.; AZEVEDO, R. K.; ABDALLAH, V. D. Biodiversity of parasites found in the trahira, Hoplias malabaricus (Bloch, 1794), collected in the Batalha River, Tietê- Batalha drainage basin, SP, Brazil. In: Anais da Academia Brasileira de Ciências, São Paulo, SP, v. 92, n. 2, 2020.

GURGEL-GONÇALVES, R.; MINUZZI-SOUZA, T. T. C.; COSTA-NETO, E. M.; CUBA, C. A. C. O que é um parasito? Uma análise etimológica e semântica do termo parasito em diferentes idiomas. Acta Scientiarum - Human and Social Sciences, Maringá, v. 29, n. 2, p. 151-161, 2007.

HAYS, T. E. An empirical method for the identification of covert categories in ethnobiology. American Ethnologist, Arlington, v. 3, n. 3, p. 489-507, 1976.

IBGE. 2017. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: < http://ibge.gov.br/cidadesat/painel/painel.php?lang=&codmun=292250&search=bahia|nazare|infograficos:-dados-gerais-do-municipio>. Acesso em: 18 de outubro de 2017.

ISAAC, A.; GUIDELLI, G. M.; FRANÇA, J. G.; PAVANELLI, G. C. Composição e estrutura das infracomunidades endoparasitárias de Gymnotus spp.(Pisces: Gymnotidae) do rio Baía, Mato Grosso do Sul, Brasil. Acta Scientiarum. Biological Sciences, v. 26, n. 4, p. 453-462, 2004.

KNOFF, M.; SÃO CLEMENTE, S. C.; KARLING, L. C.; GAZARINI, J. GOMES, D. C. Helmintos com potencial zoonótico. In: PAVANELLI, G. C.; TAKEMOTO, R. M.; EIRAS, J. C. (Orgs.) Parasitologia de peixes de água doce do Brasil. Maringá: EDUEM, 2013. p. 24- 26.

LESTER, R. J. G.; HAYWARD, C. J. Phylum Arthropoda. In: WOO, P. T. K. (Ed.) Fish Diseases and Disorders, Wallingford: CABI, 2006, v. 1, p. 466-565.

LIMA, F. S.; CASALI, G. P.; TAKEMOTO, R. M. Crustacea. In: PAVANELLI, G. C.; TAKEMOTO, R. M.; EIRAS, J. C. (Org). Parasitologia de peixes de água doce do Brasil. Maringá: EDUEM, 2013. p. 371- 397.

LUQUE, J. L. Parasitos: ¿Componentes ocultos de la Biodiversidad? Parasites: A hidden component of the Biodiversity? Biologist, Lima, v. 6, n. 1, p. 5-7, 2008.

LUQUE, J. L.; VIEIRA, F. M.; TAKEMOTO, R. M.; PAVANELLI, G. C.; EIRAS, J. C. Checklist of Crustacea parasitizing fishes from Brazil. Check List, Porto Alegre, v. 9, n. 6, p. 1449–1470, 2013.

MARQUES, J. G. W. O olhar (des)multiplicado. O papel do interdisciplinar e do qualitativo na pesquisa etnobiológica e etnoecológica. In: AMOROZO, M. C. M.; MINGG, L. C.; SILVA, S. M. P. (Ed.). Métodos de coleta e análise de dados em etnobiologia, etnoecologia e disciplinas correlatas. Rio Claro: UNESP/CNPq, 2002. p. 31-46.

MEJÍA-MADRID, H. H.; AGUIRRE-MACEDO, M. L. Redescription and Genetic Characterization of Cucullanus dodsworthi (Nematoda: Cucullanidae) from the checkered puffer Sphoeroides testudineus (Pisces: Tetraodontiformes). Journal of Parasitology, Lawrence, v. 97, n. 4, p. 695-706, 2011.

NEGREIROS, L. P.; FLORENTINO, A. C.; PEREIRA, F. B.; TAVARES-DIAS, M. Long-term temporal variation in the parasite community structure of metazoans of Pimelodus blochii (Pimelodidae), a catfish from the Brazilian Amazon. Parasitology Research, v. 118, p. 3337-3347, 2019.

PANTOJA, W. M.; CORREA, J. M.; FERREIRA, S. D. Etnoictioparasitologia: conhecimento local de pescadores sobre a ecologia parasitária em peixes de comunidades componentes da Bacia Hidrográfica do Rio Curiaú, Amazônia Oriental, Estado do Amapá, Brasil. In: XIX CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE PESCA, São Luiz – Maranhão, 2015.

PAVANELLI, G.C.; EIRAS, J. C.; TAKEMOTO, R.M. Doenças de peixes: profilaxia, diagnóstico e tratamento. 2a ed., Maringá: EDUEM, 2002. 305 p.

PAVANELLI, G. C.; TAKEMOTO, R. M.; EIRAS, J. C. (Org). Parasitologia de peixes de água doce do Brasil. Maringá: Eduem, 2013, 452 p.

PINHEIRO, R. H. S. Ocorrência de Xystretrun linton, 1910 (Trematoda: Gorgoderidae) em peixe amazônico, Sphoeroides testudineus Linnaeus, 1758 (Tetraodontiformes: Tetraodontidade). In. XVII CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE PESCA – CONBEP, Belém, Pará, 2011.

PORTUGAL, A. S.; MALAFAIA, A. G. C.; MEDRADO, F. S.; RODRIGUES, E. G.; SANTANA, J. J.; LIMA, R. S. Peixes ficam doentes? Etnoictioparasitologia na Baía de Guanabara. In: X ENCONTRO BRASILEIRO DE PATOLOGIA DE ORGANISMOS AQUÁTICO, Búzios, RJ, 2008.

RAMESHKUMAR, G.; RAVICHANDRAN, S. Cymothoa indica (Isopoda; Cymothoidae) and Alitropus typus (Isopoda; Aegidae) on freshwater fish Tilapia mossambica (Cichlidae) in Vellar estuary, Southeast coast of India. Biotemas, Florianópolis, v. 23, n. 3, p. 67-70, 2010.

ROCHA, C.; FAVARO, L. F.; SPACH, H. L. Biologia reprodutiva de Sphoeroides testudineus (Linnaeus) (Pisces, Osteichthyes, Tetraodontidae) da Gamboa do Baguaçu, Baía de Paranaguá, Paraná, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, v. 19, n. 1, p. 57-63, 2002.

ROSA, M.; OREY, D. C. Interlocuções polissêmicas entre a etnomatemática e os distintos campos de conhecimento etno-X. Educação em Revista, v. 30, n. 3, p. 63-97, 2014.

SANTOS, C. P.; BORGES, J. N.; FERNANDES, E. S.; PIZANI, A. P. C. L. 2013. Nematoda. In: PAVANELLI, G. C.; TAKEMOTO, R. M.; EIRAS, J. C. (Org). Parasitologia de peixes de água doce do Brasil. Maringá: EDUEM, 2013. p. 333-352.

SCHOLZ, T.; AGUIRRE-MACEDO, M. L.; SALGADO-MALDONADO, G. Trematodes of the family Heterophyidae (Digenea) in Mexico: a review of species and new host and geographical records. Journal of Natural History, Londres, v. 35, n. 12, p. 1733–1772, 2001.

SONODA, D. Y. Demanda por pescado no Brasil entre 2002 e 2003. 2006. 117 f. Tese (Doutorado em Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – ESALQ)-Universidade de São Paulo, Piracicaba, SP.

TOMASONI, M. A.; TOMASONI, S. M. R.P. A dimensão geoambiental da Região do Recôncavo Sul - Bahia. In: X ENCONTRO DE GEÓGRAFOS DA AMÉRIA LATINA, São Paulo, SP, 2005.

TOMCHINSKY, E.; BARROS, F. B.; CORONA-M, E.; MING, L. C.; WELCH, J. R. Publicações científicas das etnociências: caminhos passados e futuros. Ethnoscientia, v. 4, p. 1-16, 2019.

VIERTLER, R. B. 2002. Métodos antropológicos como ferramenta para estudos em etnobiologia e etnoecologia. In: AMOROZO, M. C. M.; MING, L. C.; SILVA, S. M. P. (Eds). Métodos de Coleta e Análise de Dados em Etnobiologia, Etnoecologia e Disciplinas Correlatas. Rio Claro: UNESP/CNPq, 2002. p. 11–29.

WOO, P. T. K. (Ed.) Fish Diseases and Disorders, Wallingford: CABI, 2006, v. 1, 791 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.22276/ethnoscientia.v6i1.339

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Ethnoscientia

ISSN 2448-1998

www.ethnoscientia.com