CONHECIMENTO POPULAR DE PLANTAS MEDICINAIS NO MUNICÍPIO DE SÃO THOMÉ DAS LETRAS, MG

Renata de Melo Ferreira-Lopes, Valéria Lúcia de Oliveira Freitas, Paulina Maria Maia-Barbosa

Resumo


Estudos etnobotânicos podem subsidiar projetos de bioprospecção e conservação de plantas nativas com propriedades medicinais, pois, através da utilização dos recursos vegetais como medicamentos, a própria população pode tornar efetiva a sua proteção. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho foi estudar o conhecimento popular de moradores de São Thomé das Letras, MG, na bacia do Alto Rio Grande, sobre as espécies vegetais medicinais nativas da região. O público-alvo para o levantamento etnobotânico foram moradores da área urbana e rural do município e de seu entorno, que detêm algum conhecimento especial a respeito de plantas medicinais nativas da região. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 20 informantes e turnês guiadas com seis deles, em Cerrado sentido restrito, Cerrado Rupestre, campos, fragmentos de floresta estacional semidecidual e beiras de estrada, além de quintais com espécies nativas cultivadas. Ao todo foram citadas 87 espécies, pertencentes a 46 famílias botânicas. Fabaceae e Asteraceae foram as famílias com o maior número de espécies citadas. As categorias de doenças com maior representatividade foram doenças da pele (20%), transtornos do sistema genito-urinário (17%) e transtornos do sistema respiratório (14%). As espécies que tiveram os mesmos usos mencionados por 10 ou mais informantes foram Stryphnodendron adstringens (barbatimão) Croton antisyphiliticus (curraleira, pé-de-perdiz) Vernonia polyanthes (assa-peixe), Leonurus sibiricus (isope), Rudgea viburnoides (douradinha-do-mato), Palicourea rigida (douradinha), Jacaranda decurrens (carobinha), Dorstenia brasiliensis (carapiá) e Lychnophora pinaster (arnica). Os dados gerados por esta pesquisa poderão orientar propostas de comercialização, pelos próprios moradores de São Thomé das Letras, de produtos medicinais oriundos de sua flora nativa, constituiriam uma alternativa econômica para o município e diminuiria a pressão de coleta sobre as plantas em seu hábitat natural.


Palavras-chave


bioprospecção; Cerrado; conservação ambiental; etnobotânica; floresta semidecídua

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, V. G. C.; CORREA, G. M.; SILVA, T. M.; FONTOURA, H. S.; CARA, D. C.; PILÓ-VELOSO, D.; ALCÂNTARA, A. F. C. Anti-inflammatory effects in muscle injury by transdermal application of gel with Lychnophora pinaster aerial parts using phonophoresis in rats. BMC Complementary and Alternative Medicine, 13, 270. 2013.

AHMED, F.; ISLAM, M. A.; RAHMAN, M. M. Antibacterial activity of Leonurus sibiricus aerial parts. Fitoterapia, v.77, n.4, p.316-317. 2006.

ALCORN, J. The scope and aims of ethnobotany in a Developing World. In Schultes, R. E., and von Reis, S. (eds.), Ethnobotany, Dioscorides Press, Portland, p. 23–39. 1995.

APG IV. An update of the Angiosperm Phylogeny Group - classification for the orders and families of flowering plants: APG IV. Botanical Journal of the Linnean Society, v.181, p.1-20. 2016.

BARBASTEFANO, V.; COLA, M.; LUIZ-FERREIRA, A.; FARIAS-SILVA, E.; HIRUMA-LIMA, C. A.; RINALDO, D.; VILEGAS, W.; SOUZA-BRITO, A. R. M. Vernonia polyanthes as a new source of antiulcer drugs. Fitoterapia, vol.78, p.545–551. 2007.

BARROS, M. A. Flora Medicinal do Distrito Federal. Brasil Florestal, v.50, p.35-45. 1982.

BERKES, F.; COLDING, J.; FOLKE, C. Rediscovery of traditional ecological knowledge as adaptive management. Ecological applications, 10 (5), p.1251-1262. 2000.

BERNARD, H. R. Research methods in anthropology: qualitative and quantitative approaches. American Journal of Evaluation, v.17, p.91-92. 1996.

BOLZANI, V. S.; CASTRO-GAMBOA, I.; SILVA, D. H. S. In Comprehensive Natural Products II Chemistry and Biology; Verpoorte, R., Ed.; Elsevier: Oxford, UK, Vol. 3, Chapter 3.05, p.95−133. 2010.

BOTREL, R. T.; RODRIGUES, L. A.; GOMES, L; J.; CARVALHO, D. A. FONTE, M. A. Espécies vegetais nativas usadas pela população local em Ingaí, MG. Lavras: UFLA. Boletim Agropecuário, v.59, 32p. 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conferência Nacional de Medicamentos e Assistência Farmacêutica: Relatório Final: efetivando o acesso, a qualidade e a humanização na assistência farmacêutica com controle social. Conselho Nacional de Saúde. Série D. Reuniões e Conferências. Brasília, DF. 154p. 2005.

BRASIL. Ministério da Saúde. RENISUS – Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS - Espécies vegetais. 2010. Disponível em http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/RENISUS_2010.pdf. Acessado em 29 de janeiro de 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica. A Fitoterapia no SUS e o Programa de Pesquisa de Plantas Medicinais da Central de Medicamentos. Série B. Textos Básicos de Saúde. Brasília, DF. 148p. 2006a.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica. Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Série B. Textos Básicos de Saúde. Brasília, DF. 60p. 2006b.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Biodiversidade e Florestas, Diretoria de Conservação da Biodiversidade. A Convenção sobre Diversidade Biológica - CDB. Série Biodiversidade, n. 1. Brasília, DF. 30p. 2000.

BRASIL. Portada da Saúde – SUS. O que é RENISUS? Disponível em http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/visualizar_texto.cfm?idtxt=30780. Acessado em 27 de janeiro de 2012. s/d.

CARVALHO, C. A.; LOURENÇO, M. V.; BERTONI, B. W.; FRANÇA, S. C.; PEREIRA, P. S.; FACHIN, A. L; PEREIRA, A. M. S. Atividade antioxidante de Jacaranda decurrens Cham., Bignoniaceae. Revista Brasileira de Farmacognosia, v.19, n.2b, p.592-598. 2009.

CARVALHO, L. C.; RODRIGUES, V. E. G. Levantamento florístico de plantas medicinais nativas no domínio do campo rupestre na Reserva Florestal do Boqueirão, município de Ingaí, MG. Pro Homine, v.4, p.15-25. 2005.

CASTRO, D. L. L. Aspectos toxicológicos das plantas medicinais utilizadas no Brasil: um enfoque qualitativo no Distrito Federal. Centro de Excelência em Turismo. Universidade de Brasília. 2006.

CHANG, C. V.; FELÍCIO, A. C.; REIS, J. E.; GUERRA, M. O.; PETERS, V. M. Fetal toxicity of Solanum lycocarpum (Solanaceae) in rats. Journal of Ethnopharmacology, v.81, n.2, p.265-269. 2002.

D’AURIA, C. A. São Thomé das Letras na encruzilhada das fontes, dos tempos e dos saberes: um estudo sobre etnografia e historicidade com registros audiovisuais. Dissertação de Mestrado. Instituto de Artes da UNICAMP, Campinas, SP. 2000.

DESCHAMPS, E.; MAIA JUNIOR, B.; COSTA, C. S.; SANTOS, M. G. V.; SCHWABE, W. K.; CARVALHO FILHO, C. A.; DAMASCENO, M. A. P.; PINTO, C. L. L. Controle Ambiental na Mineração de Quartzito São Tomé. 1. ed. Projeto Minas Ambiente. v.1. Belo Horizonte: Segrac. 201p. 2002.

DRUMMOND, G. M., MARTINS, C. S., MACHADO, A. B. M., SEBAIO, F. A. ANTONINI, Y. Biodiversidade em Minas Gerais: um atlas para sua conservação. 2 ed. Belo Horizonte, MG: Fundação Biodiversitas, 222p. 2005.

DRUMMOND, G. M; MACHADO, A. B. M.; MARTINS, C. S.; MENDONÇA, M. P.; STEHMANN, J. R. Listas vermelhas das espécies da fauna e da flora ameaçadas de extinção em Minas Gerais. 2 ed. Belo Horizonte, Fundação Biodiversitas. 2008.

EITEN, G. The Cerrado vegetation of Brazil. Botanical Review, 38 (2), p.201-341. 1972.

FERREIRA, F. M.; LIMA, A. L. C.; FERREIRA, R. M.; PIVARI, M. O. D. Levantamento de plantas medicinais e do conhecimento etnobotânico no município de Baependi, Minas Gerais, Brasil. MG. Biota, Belo Horizonte, v.5, n.6. 2013.

FRIEDMAN, J.; YANIV, Z.; DAFNI, A.; PALEWITCH, D. A preliminary classification of the healing potencial of medicinal plants, based on a rational analysis of an ethnopharmacological field survey among bedouins in the Negev desert, Israel. Journal of Ethnopharmacology, 16, p.275–287. 1986.

GALDINO, P. M.; ALEXANDRE, L. N.; PACHECO, L. F.; LINO JUNIOR R. S.; PAULA, J. R.; PEDRINO G. R.; XAVIER, C. R; FERREIRA, P. M. Nephroprotective effect of Rudgea viburnoides (Cham.) Benth leaves on gentamicin-induced nephrotoxicity in rats. Journal of Ethnopharmacology, v.201, n.6, p.100-107. 2017.

GOTTLIEB, O. R.; KAPLAN, M. A. C.; BORIN, M. R. M. B. Biodiversidade. Um enfoque químico-biológico. Rio de Janeiro: Editora UFRJ. 267 p. 1996.

GUIVANT, J. S. Heterogeneidade de Conhecimentos no Desenvolvimento Rural Sustentável. Cadernos de Ciência e Tecnologia, v.14, n.3, p.412-447. 1997.

HANAZAKI, N. Comunidades, conservação e manejo: o papel do conhecimento ecológico local. Biotemas, v.16, n.1, p. 23-47. 2003.

INMET. Instituto Nacional de Meteorologia. Normais Climatológicas do Brasil 1961-1990. Disponível em www.inmet.gov.br. Acessado em 23 de outubro de 2011.

ISLAM, M. A.; AHMED, F.; DAS, A. K.; BACHAR, S. C. Analgesic and anti-inflammatory activity of Leonurus sibiricus. Fitoterapia, v.76, n.3–4, p.359-362. 2005.

LEITE, J. P. V.; FERNANDES, J. M.; FAVARO, L. B.; GONTIJO, D. C.; MAROTTA, C. P. B.; SIQUEIRA, L. C.; MAIA, R. T; GARCIA, F. C. P. MG Biota - Instituto Estadual de Florestas, v.1, n.4, p. 16-34. 2008.

LESSA, M. A.; ARAÚJO, C. V.; KAPLAN, M. A.; PIMENTA, D.; FIGUEIREDO, M. R.; TIBIRIÇÁ, E. Antihypertensive effects of crude extracts from leaves of Echinodorus grandiflorus. Fundamental & Clinical Pharmacology, v.22, n.2, p.161-168. 2008.

LIMA, T. C. D.; CARDOSO, M.V.; MODESTO, T.; OLIVEIRA, A. B. B.; SILVA, M. N.; MONTEIRO, M.C.. Breve revisão etnobotânica, fitoquímica e farmacologia de Stryphnodendron adstringens utilizada na Amazônia. Revista Fitos, S.l, v.10, n.3, p. 329-338. 2017.

LOPES, C.; RUCHKYS, U. Recursos da geodiversidade de São Thomé das Letras – MG e seu uso para mineração e geoconservação: perspectivas para a reconversão desse território mineiro. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 35, p. 335-347. 2015.

LOPES, R. M. F.; FREITAS, V. L. O.; BARBOSA, P. M. M. Estrutura do componente arbóreo em áreas de cerrado no município de São Tomé das Letras, MG. Revista Árvore, v.37. n.5, p. 801-813. 2013.

MACIEL, M. A. M.; PINTO, A. C.; VEIGA, V. E. Plantas medicinais: a necessidade de estudos multidisciplinares. Química Nova, 23: 429-438. 2002.

MARQUES, M.; PROVANCE, JR. D. W.; KAPLAN, M.A.C.; FIGUEIREDO, M. R. Echinodorus grandiflorus: Ethnobotanical, phytochemical and pharmacological overview of a medicinal plant used in Brazil. Food and Chemical Toxicology, v.109, n.2, p.1032-1047. 2017.

MARTIN, G. J. Ethnobotany: a methods manual. London: Chapman & Hall. 268p. 1995.

MARTINS, E. R.; CASTRO, D. M.; CASTELLANI, D. C.; DIAS, J. E. Plantas Medicinais. Viçosa, Editora UFV. 220p. 2000.

MUNARI, C. C.; OLIVEIRA, P. F.; CAMPOS, J. C. L.; MARTINS, S. P. L.; COSTA, J. C.; BASTOS, J. K.; TAVARES, D. C. Antiproliferative activity of Solanum lycocarpum alkaloidic extract and their constituents, solamargine and solasonine, in tumor cell lines. Journal of Natural Medicines, 68, p.236–241. 2014.

NEWMAN, D. J.; CRAGG, G. M. J. Natural products as sources of new drugs over the 30 years from 1981 to 2010. Journal of Natural Products, 75, p.311−335. 2012.

OLIVEIRA, M. F. S. Fitoterapia e biodiversidade no Brasil: saúde, cultura e sustentabilidade. Revista Ideas Ambientales (Manizales, CO), v. 2, p.71-80. 2006.

OLIVEIRA-FILHO, T. A.; FLUMINHAN-FILHO, M. Ecologia da vegetação do Parque Florestal Quedas do Rio Bonito. Revista Cerne, v. 5, n.2, p. 51-64. 1999.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. CID - 10: Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde. São Paulo, Editora da Universidade de São Paulo. 2000.

QUINTANS, L. J.; SANTANA, M. T.; MELO, M. S.; DE SOUSA, D. P.; SANTOS, I. S.; SIQUEIRA, R. S.; LIMA, T. C.; SILVEIRA, G. O.; ANTONIOLLI, A. R.; RIBEIRO, L. A. A.; SANTOS, M. R. V. Antinociceptive and anti-inflammatory effects of Costus spicatus in experimental animals. Pharmaceutical Biology, v.48, n.10, p.1097-1102. 2010.

RABELO, A. C. S.; COSTA, D. C. A review of biological and pharmacological activities of Baccharis trimera. Chemico-Biological Interactions, 296, p.65-75. 2018.

RIBEIRO, J. F.; WALTER, B. M. T. As principais fitofisionomias do bioma Cerrado. In: SANO, S. M.; ALMEIDA, S. P.; RIBEIRO, J. F. (Ed.). Cerrado: Ecologia e flora. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, v.1. p.153-212. 2008.

RODRIGUES, L. A.; CARVALHO, D. A.; GOMES, L. J.; BOTREL, R. T. Espécies vegetais nativas usadas pela população local em Luminárias, MG. Boletim Agropecuário. Lavras, 52: 1-54. 2002.

RODRIGUES, V. E. G.; CARVALHO, D. A. Floristic of Native Medicinal Plants of Reminiscent Seasonal Semi-Deciduas Forest In The Alto Rio Grande Region - Minas Gerais. Cerne, [S.l.], v. 14, n. 2, p. 93-112. 2015.

RODRIGUES, V. E. G.; CARVALHO, D. A. Florística de plantas medicinais nativas de remanescentes de floresta estacional semidecidual na região do Alto Rio Grande, Minas Gerais. Cerne, 14(2): Lavras. 2008.

RODRIGUES, V. E. G.; CARVALHO, D. A. Levantamento etnobotânico de plantas medicinais no domínio dos cerrados na região do Alto Rio Grande, Minas Gerais. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 9: 17-35. 2007.

RODRIGUES, V. E. G.; CARVALHO, D. A. Plantas Medicinais Nativas nas Florestas Semideciduais. 128p. Lavras: UFLA, 2010.

RODRIGUES, V. E. G.; CARVALHO, D. A. Plantas Medicinais no Domínio dos Cerrados. Lavras: UFLA. 180 p. 2001.

ROSA, E. A.; SILVA, B. C.; SILVA, F. M.; TANAKA, C. M. A.; PERALTA, R. M.; OLIVEIRA, C. M. A.; KATO, L.; FERREIRA, H. D.; SILVA, C. C. Flavonóides e atividade antioxidante em Palicourea rigida Kunth, Rubiaceae. Revista Brasileira de Farmacognosia, v.20, n.4. 2010.

RUPPELT, B. M.; PEREIRA, E. F. R.; GONCALVES, L. C.; PEREIRA, N. A. Pharmacological screening of plants recommended by folk medicine as anti-snake venom: I. Analgesic and anti-inflammatory activities. Memorial Instituto Oswaldo Cruz, v.86, n2, p.203-205. 1991.

SCHWARZ, A.; PINTO, E.; HARAGUCHI, M.; OLIVEIRA, C. A.; BERNARDI, M. M.; SOUZA, S. H. Phytochemical study of Solanum lycocarpum (St. Hil) unripe fruit and its effects on rat gestation. Phytotherapy Research, v.21, n.11, p.1025-1028. 2007.

SHIN, H. Y.; KIM, S. H.; KANG, S. M.; CHANG, I. J.; KIM, S.Y.; JEON, H.; LEEM, K. H.; PARK, W. H.; LIM, J. P; SHIN, T. Y. Anti-inflammatory activity of Motherwort (Leonurus sibiricus L.). Immunopharmacology and Immunotoxicology, v.31, n.2, p.209-213. 2009.

SOUZA, U. J. B.; VITORINO, L. C, BESSA, L. A. Trends in the scientific literature on Stryphnodendron adstringens (Leguminosae): an important Brazilian medicinal tree. Multi-Science Journal, v.3, n.1, p.8-15. 2020.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 18. ed. São Paulo: Cortez. 2011.

VIEIRA, G. JR.; FERREIRA, P. M.; MATOS, L. G.; FERREIRA, E. C.; RODOVALHO, W.; FERRI, P. H.; FERREIRA, H. D.; COSTA, E. A. Anti-inflammatory effect of Solanum lycocarpum fruits. Phytotherapy Research, v.17, n.8, p.892-896. 2003.

WELLER, S. C.; KIMBALL-ROMNEY, A. Systematic data collection. Newbury: SAGE. 96 p. 1988.




DOI: http://dx.doi.org/10.22276/ethnoscientia.v6i1.345

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Ethnoscientia

ISSN 2448-1998

www.ethnoscientia.com