Imagem para capa

OS RÉPTEIS E SUA REPRESENTAÇÃO SOCIAL: UMA ABORDAGEM ETNOZOOLOGICA

Diego Filipe Silva Araujo, Karla Patricia Oliveira Luna

Resumo


A etnozoologia pode ser utilizada como um importante recurso para o alcance de informações sobre répteis e demais animais. Dessa forma, para registrar os conhecimentos populares, assim como as crenças, mitos e superstições referentes aos répteis, foi desenvolvida pesquisa etnozoológica no município de Campina Grande, Estado da Paraíba. Inicialmente, para a obtenção dos dados, foram aplicados aleatoriamente, em espaços públicos, sessenta questionários contendo questões fechadas (objetivas) a respeito de temas referentes ao conhecimento dos répteis, pontos relacionados a valores positivos e negativos a respeito desses animais, bem como questões relacionadas à perseguição e preservação. Com análise dos dados, foi possível identificar o conhecimento dos entrevistados em relação aos répteis, o quanto eles podem ser apreciados ou repudiados, a percepção dos pesquisados quanto ao convívio com esses animais e a importância da preservação dos mesmos. Os resultados evidenciam que ainda existe um grande equívoco e falta de informação a respeito dos répteis, e que o medo impera em especial sobre as serpentes, deixando visível a necessidade de uma educação ambiental para toda a sociedade.


Palavras-chave


Etnozoologia; Répteis; Medo; Serpentes; Educação Ambiental

Texto completo:

Araujo e Luna 2017

Referências


ALVES, R. R. N.; PEREIRA-FILHO, G. A.; VIEIRA, K. S.; SANTANA, G.; VIEIRA, W. L.; ALMEIDA, W. Répteis e as populações humanas no Brasil: uma abordagem etnoherpetológica. 1. ed. Recife: NUPEEA, 2010. v. 7.

ALVES, R. R. N.; SOUTO.; W. M. S.; MOURÃO, J. S. A etnozoologia no Brasil: Importância, status atual e perspectivas. 1. ed. Recife: NUPEEA, 2010. v. 7.

ALVES, R. R. N.; VIEIRA, W. L. S.; SANTANA, G. G. Reptiles used in traditional folk medicine: conservation implications. 8. ed. South Africa: Springer Science, 2008. v. 17.

BEGOSSI, A. Extractive reserves in the Brazilian Amazon: An example to be followed in the Atlantic Forest. Brazilian Association for the Advancement of Science, Sao Paulo, V.50, n.1, p. 24-28, 1998.

BOCHNER, R.; STRUCHINER, C.J. Epidemiologia dos acidentes ofídicos nos últimos 100 anos no Brasil: uma revisão. Cadernos de Saúde Pública, Rio De Janeiro, v. 19, n.1, p.7-16, 2003.

Brasil - Instituto brasileiro de geografia e estatística (IBGE), 2010. Disponível em: . Acesso em 14 set. 2015.

Brasil - Instituto brasileiro de geografia e estatística (IBGE), 2015. Disponível em: . Acesso em 14 set. 2015.

BRASIL. Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE. Paraná, Governo do estado do Paraná - Secretaria de eucação, 2014. 69 p.

BRASIL. Prevenção de acidentes com animais peçonhentos. 1. ed. São Paulo: Fundação Jorge Duprat Figueiredo de segurança e medicina do trabalho, 2001. 46 p.

CARDOSO, J. L. C.; FRANCA, F. O. S.; WEN, F. H.; MALAQUE, C. M. S.; HADDAD JUNIOR, V. Animais peçonhentos no Brasil: Biologia, clinica e terapêutica dos acidentes. Revista do instituto de medicina tropical de São Paulo, São Paulo, v. 45, n. 6, p. 338, 2013.

CERÍACO, L. M. P. Human attitudes towards herpetofauna: The influence of folklore and negative values on the conservation of amphibians and reptiles in Portugal. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, Portugal, v. 8, n. 8, p 1-3, 2012.

CERÍACO, L. M. P.; MARQUES, M. P.; MADEIRA N. C.; VILA-VIÇOSA, C. M. M.; MENDES, P. Folklore and traditional ecological knowledge of geckos in southern Portugal: implications for conservation and science. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, Portugal, v.7, n. 26, p 1-5, 2011.

Climate-Data.org, 2014. Disponível em: Acessom em 15 Ago. 2013.

COSENDEY, B. N.; SALOMÃO, S. R. Visão sobre as serpentes: répteis ou monstros. In: Encontro nacional de pesquisa em educação em ciências, 9., 2013, Águas de Lindóia. 2013, p 1-3

COSTA-NETO, E. M. A etnozoologia no Brasil: Um panorama bibliográfico. Bioikos, Feira de Santana, v. 14, n. 2, p. 31-45, 2000.

FERRAND. N.; FERRAND, A. P.; GONÇALVES, H.; SEQUEIRA, F.; TEIXEIRA, J. Guia dos Anfíbios e Répteis de Portugal. 1. ed. Lisboa: Fapas, 2001. 430 p.

FREITAS, M. A.; SOUZA, D. G. S. Serpentes Brasileiras. 1. ed. Bahia: Malha de sapo, 2003. 120 p.

FRIEDRICH, S. P.; SCHEID, N. M. J. O cinema como tecnologia para o estudo das representações ambientais presentes no filme Avatar. In: IV ENEBIO – Encontro Nacional de Ensino de Biologia, n. 4, 2012, Goiânia. Anais... Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 2012. p. 1-8

GUSMÃO, M. C. S.; SANTOS, R. C. Cinema, memória e processos de formação cultural: algumas considerações sobre percursos de pesquisa. Arquivos do cmd, Brasilia, v. 3, n. 1, p. 13-33, 2015

Kellert, S. Values and perceptions of invertebrates. Conservation Biology, New Haven, v.7 n. 4, p. 845-855, 1993.

KLEIN, R. G.; EDGAR, B. O despertar da cultura: a polêmica teoria sobre a origem da criatividade humana. 1. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2005. 256 p.

KÖPPEN, W.; GEIGER, R. Klimate der Erde. Gotha: Verlag Justus Perthes. 1928.

LAKATOS, E. M; MARCONI, M. A. Fundamentos de Metodologia Científica. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991. 311 p.

LIMA, J.S.; MARTELLY, H. J.; BARBOSA, D. R.; SILVA, M. S.; CARVALHO, S. F. G.; CANELA, J. R.; BONAN, P. R. F. Perfil dos acidentes ofídicos no norte do Estado de Minas Gerais, Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Uberaba, v. 42, n. 5, p. 561-564, 2009.

LIRA-DA-SILVA, R. M. Biota Bahia: Acervo Impresso e Digital dos Répteis e Aracnídeos da Bahia, Núcleo Regional de Ofidiologia de Animais Peçonhentos da Universidade Federal da Bahia, Salvador v. 1, n. 1, p. 1, 2011. Disponível em: acesso em: 21 jun. 2017

MARQUES, J. G. W. Pescando pescadores: etnoecologia Abrangente no baixo São Francisco Alagoano. 1. ed. São Paulo/Maceió: NUPAUB/USP, 1995. 285 p.

MARQUES, O. A. V.; ETEROVIC, A.; SAZIMA, I. Snakes of the Brazilian Atlantic Forest: an Illustrated Field Guide for the Serra do Mar Range. 1. ed. Ribeirão Preto: Holos, 2004. 204 p.

MARTINS, M. R. C; MOLINA, F. B. Repteis. in: MARTINS, M. R. C (org.). Livro vermelho da fauna brasileira ameaçada de extinção. Brasília: Ministério do meio ambiente, 2008, v. 1, cap. 5.

MEDEIROS, A. B.; MENDONÇA, M. J. S. L.; SOUSA, G. L.; OLIVEIRA, I. P. A importância da educação ambiental na escola nas séries iniciais. Revista faculdade de montes belos, Montes Belos, v. 4, n. 1, p. 2, 2011.

PINTO, L. C. L. Etnozoologia e conservação da biodiversidade em comunidades rurais da Serra do Ouro Branco. 2011, 95p. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Biomas Tropicais), Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto.

POUGH, F. H.; ANDREWS, R. M.; CADLE, J. E.; CRUMP, M. L.; SAVITZKY, A. H.; WELLS, K. D. Herpetology. 2. ed. New Jersey: Pretice Hall, 2001. 620 p.

RODRIGUES, M. T. Conservação dos répteis brasileiros: os desafios para um país megadiverso. Megadiversidade, Rio De Janeiro, v. 1, n. 1, p. 87-94, 2005.

SANDRIN, M. F. N. Serpentes e acidentes ofídicos: Um estudo sobre erros conceituais em livros didáticos. Investigações em ensino de ciências, Porto Alegre, v. 10, n. 3, p. 281-298, 2005.

SANTOS-FITA, D.; COSTA-NETO, E. M. As interações entre os seres humanos e os animais: a contribuição da etnozoologia. Revista Biotemas, Feira de Santana, v. 20, n. 4, p. 99-110, 2007.

SAX, B. The mythical zoo: an A-Z of animals in world myth, legend, and literature. 1. ed. California: Abc-clio, 2001. 336 p.

SOUTO, F. J. B; MARQUES, M. P.; MADEIRA N. C.. Patrimônio cultural e biológico: Desafios e perspectivas para conservação e uso. 21. ed. Botucatu: Gráfica diagrama, 2014. 142 p.

TEIXEIRA, C. R. Estudos preliminares em etnoecologia desenvolvidos na Ilha Canelas Bragança - PA. In: Simpósio de etnobiologia e etnoecologia, 3., 1996, Feira de Santana. Feira de Santana: Universidade estadual de Feira de Santana, 1996. P. 63.

UNESCO. Década da Educação das Nações Unidas para um Desenvolvimento Sustentável, 2005-2014: documento final do esquema internacional implementação. 1. ed. Brasília: Escritório da Unesco no Brasil, 2005. 120 p.

WILSON, E. O. Biofilia. 1. ed. Cidade del México: Fondo de Cultura Económica, 1989. 283 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.22276/ethnoscientia.v2i1.61

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Ethnoscientia

ISSN 2448-1998

www.ethnoscientia.com