SYSTEMA MATERIAE MEDICAE VEGETABILIS BRASILIENSIS DE MARTIUS: PLANTAS EMPREGADAS PARA ACIDENTES OFÍDICOS

Alexandre Indriunas, Elisa Mitsuko Aoyama

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo resgatar as plantas medicinais relatadas para acidentes com ofídios em Systema materiae medicae vegetabilis brasiliensis, abrangendo a atualização taxonômica e indicações de comprovação do uso das espécies. A partir da obra original e da tradução, foram listados os nomes das plantas citadas com indicação antiofídica. Após atualização nomenclatural das espécies executou-se busca em artigos científicos, a fim de verificar a citação destas para finalidade antiofídica. A obra apresenta 25 espécies com indicações de ação antiofídica distribuídas em 16 gêneros pertencentes a 12 famílias. Também foram relacionadas as partes utilizadas, a via de emprego e comentários. As partes empregadas mais citadas são as raízes, seguida de sementes, folhas, partes aéreas, tubérculos e látex; a via de administração externa é a mais assinalada. Quanto aos modos de preparo, destacam-se cataplasma, aplicação de sumo fresco, decoto, além de infusão, extrato, pó e semente espremida. Os comentários, por sua vez, trazem indicações de dosagem, modo de aplicação e detalhamento da parte empregada. Diante do apresentado, a obra de Martius, Systema materiae medicae vegetabilis brasiliensis, pode ser entendida como uma importante fonte de informações no que se diz respeito ao emprego de plantas para acidentes ofídicos, isto é reforçado pelo número de espécies que foram encontradas em estudos atuais para a ação antiofídica.


Palavras-chave


alexifármaco; antiofídico; etnobotânica histórica; naturalistas; plantas medicinais

Texto completo:

Indriunas e Aoyama 2018

Referências


ASSAFIM, M. et al. Hypericum brasiliense plant extract neutralizes some biological effects of Bothrops jararaca snake venom. Journal of Venom Research 2: 11-16, 2011.

BOCHNER, R.; STRUCHINER, C.J. Epidemiologia dos acidentes ofídicos nos últimos 100 anos no Brasil: uma revisão. Cadernos de Saúde Pública 19(1): 7-16, 2003.

BRANDÃO, M.G.L. et al. Traditional uses of American species from 1st edition of Brazilian official pharmacopoeia. Revista Brasileira de Farmacognosia 9(2a): 478-487, 2009.

BREITBACH, U.B. et al. Amazonian Brazilian medicinal plants described by C.F.P. von Martius in the 19th century. Journal of Ethnopharmacology 147: 180–189, 2013.

CASTRO, O. et al. Neutralización del efecto hemorrágico inducido por veneno de Bothrops asper (Serpentes: Viperidae) por extractos de plantas tropicales. Revista de Biología Tropical 47: 605-616, 1999.

DEY, A.; DE, J.N. Phytopharmacology of antiohidian botanicals: a review. International Journal of Pharmacology 8(2): 62-79, 2012.

FREITAS, D.S. Ruptura entre o conhecimento popular e o conhecimento científico na história das classificações botânicas. Ciência & Ensino: 8: 7-9, 2000.

GOMES, A. Herbs and herbal constituents active against snake bite. Indian Journal of Experimental Biology 48: 868-878, 2010.

HEDBERG, I. Botanical methods in ethnopharmacology and the need for conservation of medicinal plants. Journal of Ethnopharmacology 38: 121-128, 1993.

HOUGHTON, P.J.; OSIBOGUN, I.M. Flowering plants used against snakebite. Journal of Ethnophamacology, v.39(1), p.1-29, 1993.

INDRIUNAS, A. Comprometimento da tradução de Systema Materiae Medicae Vegetabilis Brasiliensis de Martius. Rodriguésia 63: 475-477, 2012.

IPNI - International Plant Names Index. 2014. Disponível em: Acesso em: 01 out. 2014.

LISTA DE ESPÉCIES DA FLORA DO BRASIL. 2014. Disponível em: Acesso em: 01 out. 2014.

MARTIUS, K.F.P. Systema materiae medicae vegetabilis brasiliensis. Frid Fleischer: Lipsiae, 1843. 155 p.

MARTIUS, K.F.P. Natureza, doenças, medicina e remédios dos índios brasileiros. Tradução de Pirajá da Silva. Editora Nacional: São Paulo, 1939. 286 p.

MARTIUS, K.F.P. Systema de materia medica vegetal brasileira. Tradução de Henrique Velloso d’Oliveira. Laemmert: Rio de Janeiro, 1854. 284 p.

MOLANDER, M. et al. Cross-cultural comparison of medicinal floras used against snakebites. Journal of Ethnopharmacology 139(3): 863–872, 2012.

MOURA, V.M.; MOURÃO, R.H.V. Aspectos do ofidismo no Brasil e plantas medicinais utilizadas como complemento à soroterapia. Scientia Amazonia 1:17-26, 2012.

MORS, W.B. et al. Plant natural products active against snake bite: the molecular approach. Phytochemistry 55: 627-642, 2000.

NASCIMENTO, J.C. et al. Occurrence, biological activities and 13C NMR data of amides from Piper (Piperaceae). Química Nova 35: 2288-2311, 2012.

NOELLI, F.S. Múltiplos usos de espécies vegetais pela farmacologia guarani através de informações históricas. Diálogos 2: 177-199, 1998.

PÉREZ, W.A.B. Especies vegetales de uso antiofídico en las estribaciones de la Sierra Nevada de Santa Marta: inventario etnobotánica y evaluación biológica. 2010. 95f. (Mestrado em Bosques y Conservación Ambiental) - Facultad de Ciencias Agropecuarias, Universidad Nacional de Colombia, Medellín.

PINHO, F.M.O.; PEREIRA, I.D. Ofidismo. Revista da Associação Médica Brasileira 2: 1060-1067, 2011.

RITA, P. et al. Snake bite, snake venom, anti-venom and herbal antidote: a review. International Journal in Ayurveda and Pharmacy 47: 24-29, 2001.

RUFATTO, L.C. et al. Genus Mikania: chemical composition and phytotherapeutical activity. Revista Brasileira de Farmacognosia 22: 1384-1403, 2012.

RUIZ, A. M. Pesas y medidas en las farmacopeas españolas de los siglos XVIII al XXI. ARS Pharmaceutica 51(supl. 3): 667-673, 2010.

SÁEZ, J.A.L.; SOTO, J.P. Plantas alexitéricas: antídotos vegetales contra las picaduras de serpientes venenosas. Medicina Naturista 3: 17-24, 2009.

SPIX, J.B.; MARTIUS, K.F.P. Viagem pelo Brasil 1817-1820. 3.ed. São Paulo: Melhoramentos, 1976. Vol. 1, 2.

TORRES, A.M. et al. 2007. Estudio de la actividad antihemolítica in vitro de extractos de Cissampelos pareira contra veneno de Bothrops neuwiedi diporus (COPE) (yarará chica). In: SIMPOSIO ARGENTINO, 9, e, SIMPOSIO LATINOAMERICANO DE FARMACOBOTÁNICA, 12, 2007, Tucumán. Boletín Latinoamericano y del Caribe de Plantas Medicinales y Aromáticas 6(5): 280-281, 2007.

TROPICOS Missouri Botanical Garden. 2014. Disponível em: Acesso em: 30 nov. 2014.

VILAR, J.C.; CARVALHO, C.M.; FURTADO, M.F.D. Ofidismo e plantas utilizadas como antiofídicas. Biologia Geral e Experimental 6: 3-36, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.22276/ethnoscientia.v3i0.97

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Ethnoscientia

ISSN 2448-1998

www.ethnoscientia.com